Blog do Dr. Alexandre Faisal

13/03/2009

A cor do desejo

 

A cor pode causar importante impacto na atração sexual  

Você sabe qual é cor que estimula a atração sexual dos homens pelas mulheres ? Vote 

Escute o aúdio abaixo ou leia o texto na íntegra

 

 

 Ninguém duvida que a beleza, inteligência, classe exerçam poderosa influência na atração sexual dos homens pelas mulheres.  Mas você saberia dizer quais são os outros fatores envolvidos na atração física? Mais especificamente, qual é a cor do desejo?. Para alguns pesquisadores, a cor, usualmente, pensada em termos estéticos, na arte ou moda, tem significados particulares e sua mera percepção pode produzir afetos e comportamentos. Inclusive na atração sexual. Pois bem, para testar esta hipótese cientistas da Universidade de Rochester, nos Estados Unidos fizeram diversos experimentos, principalmente, com homens, com idade média de 20 anos para avaliar o impacto da cor vermelha na atração sexual.  Diante de fotos de jovens atraentes, vestidas em vermelho ou outras cores, os participantes foram convidados a responder questionário sobre grau de atração geral e sexual e preferência para um eventual encontro. Eles não sabiam do propósito do estudo, nem os pesquisadores tinham consciência das imagens que estavam sendo avaliadas. Diversos cenários foram testados, como troca de cores, de fundos cromáticos e tempo de exposição às imagens. Mas o resultado foi semelhante: homens sentem-se atraídos pelo vermelho na comparação com outras cores, o branco, por exemplo.  Isto possivelmente funciona para mulheres muito belas ou muito feias. No primeiro caso, aumentando o efeito da beleza. No segundo, minimizando o efeito da falta de atração. Curiosamente, os experimentos mostraram que o impacto positivo da cor vermelha funciona apenas para os homens, mas não para as mulheres e que mesmo para os homens, o vermelho tornava a mulher mais atraente, mas não mais inteligente ou mais gentil. Para concluir os autores citam uma série de experimentos com animais, tais como macacos e aves, confirmando que no reino animal o vermelho acende os mais primitivos impulsos sexuais. Portanto mulheres, se a idéia é estimular o seu par, decretem o fim do pretinho básico. Saiam de vermelho (Elliot AJ. Niesta D. Romantic red: red enhances men's attraction to women. Randomized Controlled Trial. Journal of Personality & Social Psychology. 95(5):1150-64, 2008)

 

Escrito por Dr. Alexandre Faisal às 11h48

09/03/2009

Depressão pós-sexo

 

Um cientista americano discute no jornal New York Times a existência da "depressão pós-sexo".

Você acha que existe a depressão apenas após o sexo? Vote 

Escute o aúdio abaixo ou leia o texto na íntegra

 

 

Depressão é uma palavra da moda e está na boca e na cabeça das pessoas. Fala-se em depressão no final do dia, após uma briga com o namorado, derrota do time e falta do sol. Mas ninguém tinha ainda ouvido falar de depressão pós-sexo. Pois bem, o Jornal New York Times falou num artigo publicado em janeiro de 2009. Ou melhor, comentou a depressão pós-sexo num artigo assinado pelo professor de Psiquiatria Richard Friedman, da Weill Cornell Medical College, em Nova York. A história toda começa a partir da observação de dois casos, envolvendo um homem e uma mulher, jovens, saudáveis, bem relacionados, empregados e, principalmente, sem nenhum transtorno psicológico aparente. Mas que ficavam doloridos, desapontados e deprimidos após orgasmo, obtido com o parceiro ou parceira ou mesmo sozinhos. Nenhum grande conflito relacional ou trauma. Apenas uma baixo-astral após o sexo. E não era vamos dizer assim aquela moleza, cansaço ou distância, relativamente comum após o sexo entre os animais, nós humanos incluídos. Para o autor a explicação pode estar na neurobiologia cerebral, que é ainda uma área pouco conhecida e carente de investigações. Ele cita para isto uma investigação do funcionamento cerebral durante o orgasmo por meio de tomografia que mostra que sexo além de causar prazer, diminui medo e ansiedade. Pergunte a quem já namorou no carro numa rua qualquer escura de São Paulo e ele dirá que é isto mesmo. Tomografia para quê?. Ele sugere que um mal funcionamento na área responsável pelo registro de prazer, a amídala poderia ser a causa da depressão pós-sexo. Assim o problema não está na mente, com todos os conteúdos e significados, mas sim no cérebro, segundo ele o mais importante órgão sexual do ser humano. Se a moda pega, dentro de pouco tempo vamos escutar as pessoas falando que estão com depressão pós-sexo e eu não duvidaria que elas saberiam a quem culpar: seus próprios cérebros. Coitadinho deles.

Escrito por Dr. Alexandre Faisal às 11h07

Sobre o Autor

Alexandre Faisal é ginecologista-obstetra, pós-doutor pela USP. Formado em Psicossomática pelo Instituto Sedes publicou o livro "Ginecologia Psicossomática" (Editora Atheneu). Participou do programa "Olha Você" do SBT e atualmente é colunista da Rádio USP (FM 93.7) e da Rádio Bandeirantes (FM 90.9). Já realizou diversas palestras médicas no país e no exterior. Apresenta palestras culturais em empresas sobre temas que tratam do universo feminino (Amantes na Arte, Mentes Inovadoras, O Erotismo).

Sobre o Blog

Acompanhe os boletins do "Saúde feminina: um jeito diferente de entender a mulher" que discutem os assuntos que interessam às mulheres e seus parceiros. Uma abordagem didática e bem-humorada das mais recentes pesquisas nacionais e internacionais sobre temas como gravidez, métodos anticoncepcionais, sexualidade, saúde mental, menopausa, adolescência, atividades físicas, dieta, relacionamento conjugal, etc. Aproveite.

Livro

Alexandre Faisal é coautor do livro "Segregos de Mulher - Diálogos entre um ginecologista e um psicanalista"



(Alexandre Faisal Cury e Rubens Marcelo Volich, Ed. Atheneu).

Histórico