Blog do Dr. Alexandre Faisal

28/03/2009

Muitas mulheres esquecem de tomar as pílulas anticoncepcionais

Esquecer de tomar a pílula pode resultar numa gravidez não planejada

Você acha que as mulheres esquecem a pílula com muita frequencia? Vote 

Escute o aúdio abaixo ou leia o texto na íntegra

 

Se você é mulher, usuária de anticoncepcional oral e esquece com freqüência de tomar uma ou mais pílulas, você não têm motivo para comemorar, mas também não está sozinha. Pelo menos, está na companhia de mulheres americanas, já que um estudo realizado em Washington avaliou a regularidade no uso e as causas de esquecimento dos anticoncepcionais orais. As 1410 mulheres, com mais de 18 anos de idade, iniciaram este tipo de método pela primeira vez ou após uma interrupção prévia de 6 meses e foram monitoradas por apenas 3 meses. Só 3 meses e assim mesmo 70% das mulheres esqueceram uma ou mais pílulas. E como todos sabem, quanto maior o período do esquecimento maior o risco de gravidez. Neste estudo, um em cada 4 esquecimentos resultou numa situação de grande risco de gravidez. Ou seja, a mulher esquecia 2 dias seguidos do uso da pílula ou não usava outro método nesta situação. O estudo não se propõe a investigar as motivações inconscientes destes surpreendentes esquecimentos, mas seguramente eles fazem parte deste enredo tão complexo que é o desejo e a prevenção da gravidez. Mas a conclusão da pesquisa é clara, se você não deseja filhos preste mais atenção á sua cartelinha de anticoncepcionais. Pois neste caso, “pior do que ter que lembrar da pílula todo dia e esquecer de tomá-la”.J Midwifery & Womens Healt 2005.

 

Escrito por Dr. Alexandre Faisal às 19h13

24/03/2009

Marido fiel é marido religioso

Algumas características masculinas se associam à infidelidade conjugal 

Você acha que o homem religioso é mais fiel ? Vote 

Escute o aúdio abaixo ou leia o texto na íntegra

 

 

A questão é um tanto delicada e vai interessar as mulheres e homens casados e aqueles que um dia planejam se casar. O que leva a pessoa casada a cometer adultério?. Um estudo americano tem algumas respostas. Os pesquisadores da Universidade do Colorado, nos Estados Unidos, avaliaram quase 2300 pessoas casadas para identificar os fatores associados ao adultério, cometido nos últimos 12 meses da relação conjugal. O primeiro e mais importante resultado não é nenhuma novidade para a maioria das pessoas: estar insatisfeito na relação com o par é o principal preditor, quer dizer fator que antecipa a ocorrência, da traição no casamento. E antes que você torça o nariz, a boca e diga: “mas isto é óbvio”, vale a pena escutar os outros resultados. Eles dão o que pensar. Um deles é que a religiosidade do cônjuge serve como fator de proteção contra o adultério e enfraquece a associação da insatisfação conjugal e infidelidade. Ao que parece, as restrições religiosas resultam em casais mais fiéis. O outro resultado pode não ser uma grande surpresa, mas tampouco vai agradar as mulheres. Principalmente, se elas estiverem grávidas. Segundo o estudo, infidelidade masculina está associada à gravidez da esposa. E isto independe do grau de satisfação com a vida conjugal. Ou seja, maridos, felizes ou não com o casamento, tem maior chance de serem infiéis se suas mulheres estiverem grávidas. Resumo da ópera, um casamento feliz é um bom antídoto contra a infidelidade masculina ou feminina. Mas no caso das grávidas é aconselhável ter um homem religioso ou pelo menos manter firme a vigilância. (Whishman, Gordon, Chatav. J Fam Psychology 2007)     

Escrito por Dr. Alexandre Faisal às 00h25

Sobre o Autor

Alexandre Faisal é ginecologista-obstetra, pós-doutor pela USP. Formado em Psicossomática pelo Instituto Sedes publicou o livro "Ginecologia Psicossomática" (Editora Atheneu). Participou do programa "Olha Você" do SBT e atualmente é colunista da Rádio USP (FM 93.7) e da Rádio Bandeirantes (FM 90.9). Já realizou diversas palestras médicas no país e no exterior. Apresenta palestras culturais em empresas sobre temas que tratam do universo feminino (Amantes na Arte, Mentes Inovadoras, O Erotismo).

Sobre o Blog

Acompanhe os boletins do "Saúde feminina: um jeito diferente de entender a mulher" que discutem os assuntos que interessam às mulheres e seus parceiros. Uma abordagem didática e bem-humorada das mais recentes pesquisas nacionais e internacionais sobre temas como gravidez, métodos anticoncepcionais, sexualidade, saúde mental, menopausa, adolescência, atividades físicas, dieta, relacionamento conjugal, etc. Aproveite.

Livro

Alexandre Faisal é coautor do livro "Segregos de Mulher - Diálogos entre um ginecologista e um psicanalista"



(Alexandre Faisal Cury e Rubens Marcelo Volich, Ed. Atheneu).

Histórico