Blog do Dr. Alexandre Faisal

25/06/2009

Química sexual I: a relação vai dar certo?

O desejo sexual varia enormemente de uma relação para outra As mulheres sabem muito bem disto

Você acredita que a chama da paixão possa durar indefinidamente ?  Clique aqui para votar  

Escute o aúdio abaixo ou leia o texto na íntegra

 

 

Vamos pensar na seguinte situação. Você é mulher, solteira e está muito animada, ou para ser mais preciso, excitada; é sexualmente excitada com seu novo parceiro. Melhor ainda, ele também está animadíssimo com você. Você quer saber se desta vez vai dar certo e se a atração sexual vai durar ?. Bom vão aí 2 notícias: uma má e uma boa. Primeiro a má: O desejo sexual vai acabar ou vamos dizer que ele não será assim para sempre. Ficou decepcionada?. Não fique. A boa notícia é que isto faz parte de um processo evolutivo dos seres humanos na constituição das suas parceiras e reprodução. Depois deste intenso desejo sexual, segue-se uma fase de atração, não exclusivamente sexual, onde todas as energias e atenções são voltadas para este único parceiro (ou parceira). O objetivo desta fase seria selecionar o parceiro mais adequado dentre os muitos disponíveis. Finalmente, a relação pode se solidificar e a parceria passa a incluir cuidados recíprocos, desejo de proximidade e exclusividade. Não é difícil imaginar que se você chegou até aqui você tem grande chance de se casar e de encher a casa de filhos. A procriação é o resultado deste interessante processo de seleção, das mulheres pelos homens e sejamos honestos, dos homens pelas mulheres. Infelizmente, isto não é receita de bolo e mesmo que fosse você teria sempre aquela triste possibilidade de dar tudo errado. Se for o caso não desanime, comece tudo de novo. (Sex Therapy. Leiblum & Brezsnyak, 2006)

 

Escrito por Dr. Alexandre Faisal às 23h57

21/06/2009

Mais filhos, menos dentes ?

Gestantes sabem da importância dos cuidados dentários na gravidez. Mas isto pode não ser o bastante dependendo do número de filhos

Você imagina que exista alguma relação entre o número de filhos e a dentição da mulher?  Clique aqui para votar  

Escute o aúdio abaixo ou leia o texto na íntegra

  

O número de filhos por mulheres vem diminuindo, ao longo das décadas no mundo e também no Brasil. As mulheres têm vários motivos para planejarem uma família menor: as dificuldades econômicas, a valorização da carreira profissional e como conseqüência o adiamento do casamento para mais tarde, etc, etc. Pois bem, ao lado destes motivos nobres, as mulheres deverão acrescentar mais um: a manutenção dos dentes. Sim, os dentes da boca. Um curioso estudo realizado nos Estados Unidos, com mais de 2600 mulheres, mostrou que quanto maior o número de filhos maior é o número de dentes perdidos. Como exemplo, a mulher que tem 4 ou mais filhos apresentava perda de 2 a 9 dentes, enquanto a mulher com apenas um filho apresentava perda de 1 a 7 dentes. Interessante que o efeito negativo do número de filhos sobre a perda dos dentes era independente do nível sócio-econômico da mulher e persistia após a análise de outras variáveis como idade, data do último parto e presença de diabetes. Os pesquisadores chegam a afirmar que o impacto da paridade, ou seja, do número de partos que a mulher teve, sobre a dentição é maior do que o impacto do tabagismo e da freqüência de consultas ao dentista. A explicação para esta inquietante relação entre número de filhos e perda de dentes ainda não está bem esclarecida e nós vamos ter que aguardar novos estudos. Ate lá a minha sugestão é que nenhuma mulher deve deixar de ter filhos, ou melhor, muitos filhos, com medo de ficar sem dentes. Os cuidados orais estão aí para permitir que elas possam sorrir à vontade. Tendo ou não um monte de filhos. (Russell et al, 2008. Am J Public Health)

Escrito por Dr. Alexandre Faisal às 22h15

Sobre o Autor

Alexandre Faisal é ginecologista-obstetra, pós-doutor pela USP. Formado em Psicossomática pelo Instituto Sedes publicou o livro "Ginecologia Psicossomática" (Editora Atheneu). Participou do programa "Olha Você" do SBT e atualmente é colunista da Rádio USP (FM 93.7) e da Rádio Bandeirantes (FM 90.9). Já realizou diversas palestras médicas no país e no exterior. Apresenta palestras culturais em empresas sobre temas que tratam do universo feminino (Amantes na Arte, Mentes Inovadoras, O Erotismo).

Sobre o Blog

Acompanhe os boletins do "Saúde feminina: um jeito diferente de entender a mulher" que discutem os assuntos que interessam às mulheres e seus parceiros. Uma abordagem didática e bem-humorada das mais recentes pesquisas nacionais e internacionais sobre temas como gravidez, métodos anticoncepcionais, sexualidade, saúde mental, menopausa, adolescência, atividades físicas, dieta, relacionamento conjugal, etc. Aproveite.

Livro

Alexandre Faisal é coautor do livro "Segregos de Mulher - Diálogos entre um ginecologista e um psicanalista"



(Alexandre Faisal Cury e Rubens Marcelo Volich, Ed. Atheneu).

Histórico