Blog do Dr. Alexandre Faisal

20/08/2009

O conteúdo sexual de alguns programas de televisão, além da péssima qualidade, pode ter efeito negativo sobre a sexualidade dos adolescentes

Você é a favor da limitação da exposição dos adolescentes aos programas com conteúdo sexual da TV?  Clique aqui para votar   

Escute o aúdio abaixo ou leia o texto na íntegra

 

 

Qual adolescente já não ouviu os pais falaram: “desliga a televisão. Para de ver esta porcaria”. Mas é provável que os pais não estivessem pensando que esta porcaria aumentaria o risco dos seus filhos adolescentes virem a iniciar a vida sexual precocemente. Pois bem, deveriam. Um estudo avaliou empiricamente a associação entre exposição ao conteúdo sexual dos programas de TV e gravidez na adolescência. Foram usados dados de um estudo com adolescentes entre 12 e 17 anos que foram acompanhados até os 15 a 20 anos de idade. Interessantíssima e assustadora conclusão é que a exposição aos conteúdos sexuais na TV prediz a ocorrência de gestação em adolescentes, seja ela a menina que engravida ou menino que é o responsável pela gravidez. Adolescentes com maior exposição aos conteúdos sexuais na televisão tinham risco 2 vezes maior de estarem envolvidos com gravidez nos 3 anos subseqüentes na comparação com aqueles que foram menos expostos aos mesmos programas. A conclusão dos autores é que deixar a molecada babando na frente de programas eróticos ou quase eróticos, na televisão, pode moldar negativamente o comportamento sexual deles, no futuro. Uma dica seria limitar este tipo de programa e, eventualmente, assistir com eles para ter condições de discutir o assunto. Neste ultimo caso convém que os adultos não fiquem babando também. Em tempos de pais moderninhos, quase adolescentes também, só falta os filhos terem que gritar para os pais: “desliga esta televisão. Para de ver esta porcaria" (Chandra & Mil, Pediatrics, 2008)

Escrito por Dr. Alexandre Faisal às 22h13

17/08/2009

Vida sexual das mulheres latinas: "calientes pero no mucho"

Os problemas sexuais das mulheres após os 40 anos são comuns. A situação não é muito diferente para as mulheres latinas 

 Na sua opinião qual é o principal motivo para as dificuldades sexuais das mulheres de meia idade?  Clique aqui para votar  

 Escute o aúdio abaixo ou leia o texto na íntegra

 

Você gostaria de saber como vai a vida sexual das mulheres de meia-idade latinas? Ou mais especificamente, qual a porcentagem de mulheres com problemas sexuais e quais fatores se associam às queixas sexuais?. Um grande estudo avaliou, por meio de questionário, mais de 7 mil mulheres, com idade entre 40 e 59 anos, de 11 países latinos americanos tais como Cuba, Argentina, Chile, entre outros. O Brasil, infelizmente, não teve participantes nesta pesquisa. Cerca de 50% das participantes eram casadas e estavam na menopausa e uma em cada quatro não estava ativa sexualmente. Vamos aos resultados: A prevalência do problema, ou seja, o número de mulheres que apresentam dificuldades sexuais num dado momento é bastante alta, quase 60%. Outra conclusão é que na comparação com o grupo de mulheres com escores mais baixos de disfunção sexual, o grupo com escores mais altos apresentava as seguintes características: as mulheres eram mais velhas e tinham parceiros mais velhos, havia maior número de casadas e elas referiam mais ressecamento vaginal. Curiosamente, não houve diferenças entre os grupos quanto à percepção de saúde, história de estupro e disfunção sexual do parceiro. Finalmente, os autores listam uma série de fatores que podem ser protetores de disfunção sexual e, eu imagino que isto vai interessar a muitas mulheres. Nível educacional mais alto, acesso a plano privado de saúde e marido fiel são fatores protetores da disfunção sexual. Com resultados como estes alguns maridos podem reclamar que, no final das contas, acabou sobrando para eles: ou a sua esposa não está gozando a vida como poderia  ou está e para isto ele vai ter que se contentar só com ela. (Blümel et al, 2009 Menopause).

Escrito por Dr. Alexandre Faisal às 23h39

Sobre o Autor

Alexandre Faisal é ginecologista-obstetra, pós-doutor pela USP. Formado em Psicossomática pelo Instituto Sedes publicou o livro "Ginecologia Psicossomática" (Editora Atheneu). Participou do programa "Olha Você" do SBT e atualmente é colunista da Rádio USP (FM 93.7) e da Rádio Bandeirantes (FM 90.9). Já realizou diversas palestras médicas no país e no exterior. Apresenta palestras culturais em empresas sobre temas que tratam do universo feminino (Amantes na Arte, Mentes Inovadoras, O Erotismo).

Sobre o Blog

Acompanhe os boletins do "Saúde feminina: um jeito diferente de entender a mulher" que discutem os assuntos que interessam às mulheres e seus parceiros. Uma abordagem didática e bem-humorada das mais recentes pesquisas nacionais e internacionais sobre temas como gravidez, métodos anticoncepcionais, sexualidade, saúde mental, menopausa, adolescência, atividades físicas, dieta, relacionamento conjugal, etc. Aproveite.

Livro

Alexandre Faisal é coautor do livro "Segregos de Mulher - Diálogos entre um ginecologista e um psicanalista"



(Alexandre Faisal Cury e Rubens Marcelo Volich, Ed. Atheneu).

Histórico