Blog do Dr. Alexandre Faisal

08/10/2009

Que tal hipnose para parar de fumar?

 Muitas mulheres fumantes querem parar de fumar, mas simplesmente não conseguem...

 Você tentaria o uso da hipnose como tratamento para abandonar o tabagismo? Clique aqui para votar   

 Escute o aúdio abaixo ou leia o texto na íntegra

 

 

Se você é fumante e está tentando parar de fumar, vem aí um resultado animador de uma pesquisa realizada nos Estados Unidos. Mas que vai fazer você torcer o nariz e ficar meio desconfiada. Vamos direto ao resultado: hipnose ajuda se você quer parar de fumar. Isso mesmo: hipnose. Nesta pesquisa 286 pessoas fumantes que desejavam parar de fumar foram submetidas a um dos seguintes tipos de tratamento: sessões de hipnose ou de aconselhamento psicológico, além do uso de adesivos de nicotina por 2 meses. Nos 2 grupos foram realizadas duas sessões de 60 minutos. Seis meses após o início do estudo, maior número de pessoas no grupo da hipnose afirmou ter interrompido, pelo período de uma semana, o uso do cigarro. Confirmações bioquímicas validaram as afirmações, já que as pessoas, fumantes ou não, podem mentir. 12 meses depois, um repetição dos resultados: 20% das pessoas submetidos à hipnose haviam parado, enquanto no grupo do aconselhamento este número foi de 14%. Ou seja, houve redução do risco de fumar de 40%. Para os participantes que tinham história de depressão, os resultados foram ainda melhores. Neste grupo específico de pacientes, a hipnose foi estatisticamente mais eficaz. A conclusão dos autores é que hipnose associada aos adesivos de nicotina pode ser uma excelente estratégia para enfrentar este fantasma que é o tabagismo. Portanto se você é fumante e deseja parar de fumar, aproveite esta exótica sugestão: seja hipnotizada.  (Hypnosis for smoking cessation: a randomized trial. (Carmody et al, 2008. Nicotine & Tobacco Research).

Escrito por Dr. Alexandre Faisal às 14h35

04/10/2009

Alteração do humor no período pré-menstrual: mito ou verdade?

 As alterações do humor são uma queixa frequente das mulheres e dos seus parceiros, que nem sempre entendem muito bem o que está acontecendo. 

 Mas será que o período do ciclo menstrual realmente interfere com o humor feminino?. Clique aqui para votar   

 Escute o aúdio abaixo ou leia o texto na íntegra

 

 

 

Muitas mulheres sofrem com os sintomas da TPM. Principalmente os sintomas psicológicos, incluindo as famosas alterações do humor. Pois vem aí um estudo canadense que vai esquentar o debate e questionar o real impacto da influência do ciclo menstrual sobre o humor, ou melhor dizendo, o mal-humor feminino. Nesta pesquisa, 507 mulheres, com idade entre 18 e 40 anos comparam a importância de 3 áreas, a saúde física, o suporte social e o estresse sobre o estado de humor. Primeira boa notícia, o alto astral foi mais comum do que o baixo-astral. No geral, as mulheres consideram que, tanto um como o outro, o alto ou baixo astral, ocorrem em ciclos, ou seja, vão e voltam. No entanto, o peso atribuído aos fatores associados ao bom ou mal-humor varia. Suporte social, aquele apoio que vem do parceiro, familiares e amigos foi considerado o fator mais influente para o bom humor. Já para o mal-humor o fator mais importante foi o estresse. Outro dado é o alto astral das mulheres se associava com o fato delas estarem empregadas e de, habitualmente, não darem muito valor para o estresse. Muitas mulheres brasileiras, que dão duro para encontrar um bom emprego, podem pensar que assim fica fácil. Mas um resultado surpreendente foi a pouca importância dada ao ciclo menstrual. Apenas 5 % das participantes citaram a fase do ciclo menstrual como uma influência significativa sobre o estado psicológico. Em outras palavras, quando se trata do humor, as mulheres admitem o impacto de influências externas, que, em geral, repercutem nas suas relações inter-pessoais, mas o período do ciclo menstrual, ou em particular, o período pré-menstrual não foi considerado muito importante. Pelo menos é o que dizem as participantes desta pesquisa. Eu imagino que as brasileiras que sofrem com os sintomas psicológicos da TPM devem estar dizendo: “estas mulheres canadenses devem estar muito loucas” (Roman et al, 2009. Women Health)

Escrito por Dr. Alexandre Faisal às 22h45

Sobre o Autor

Alexandre Faisal é ginecologista-obstetra, pós-doutor pela USP. Formado em Psicossomática pelo Instituto Sedes publicou o livro "Ginecologia Psicossomática" (Editora Atheneu). Participou do programa "Olha Você" do SBT e atualmente é colunista da Rádio USP (FM 93.7) e da Rádio Bandeirantes (FM 90.9). Já realizou diversas palestras médicas no país e no exterior. Apresenta palestras culturais em empresas sobre temas que tratam do universo feminino (Amantes na Arte, Mentes Inovadoras, O Erotismo).

Sobre o Blog

Acompanhe os boletins do "Saúde feminina: um jeito diferente de entender a mulher" que discutem os assuntos que interessam às mulheres e seus parceiros. Uma abordagem didática e bem-humorada das mais recentes pesquisas nacionais e internacionais sobre temas como gravidez, métodos anticoncepcionais, sexualidade, saúde mental, menopausa, adolescência, atividades físicas, dieta, relacionamento conjugal, etc. Aproveite.

Livro

Alexandre Faisal é coautor do livro "Segregos de Mulher - Diálogos entre um ginecologista e um psicanalista"



(Alexandre Faisal Cury e Rubens Marcelo Volich, Ed. Atheneu).

Histórico