Blog do Dr. Alexandre Faisal

22/03/2011

Mais "fast food" perto da casa aumenta risco de obesidade infantil

    Obesidade infantil, uma verdadeira pandemia em alguns países ricos, preocupa pais e educadores. Um estudo inglês investiga se morar perto de cadeias de alimentação do tipo "fast food" aumenta o risco de obesidade infantil

    Você permite que seu filho coma em "fast foods" com que frequência?  Clique aqui para votar 

    Escute o aúdio abaixo ou leia o texto na íntegra

   

 

 

   

     

 

           O problema preocupar os pais e principalmente das mães que, em geral, cuidam mais diretamente dos filhos: a obesidade infantil que, há algumas décadas, afeta não só as crianças de países ricos, mas dos países em desenvolvimento também. E o problema não é simples já que envolve causas diversas; genéticas, atividade física e dieta. E falando de dieta é impossível deixar de pensar no impacto das cadeias de "fast food" nos hábitos alimentares dos nossos filhos. Será que morar perto de um "fast food "aumenta o risco da criança ser obesa?. Vejamos qual foi a conclusão de um estudo inglês, na cidade de Leeds, com dados de mais de 33 mil crianças, com idades entre 3 e 14 anos de idade.

          Os pesquisadores realizaram um estudo denominado ecológico, onde dados antropométricos, tais como peso e altura, da criança foram cruzados com número, localização e até distância da residência dos "fast foods" de determinadas áreas geográficas da cidade. A residência da criança foi obtida por meio do código postal do cadastro de registro. E assim era possível checar a relação entre sobrepeso e obesidade com número e distância dos "fast foods". Conclusão: quanto maior o número de "fast foods" na região geográfica maior o risco da criança apresentar sobrepeso e obesidade. Isto, no entanto, não ocorreu quanto se usou o critério distãncia da habitação com o "fast  food".

          O resultado não surpreende, mas ajuda a pensar nesta pandemia que é a obesidade infantil, que neste caso em questão atingia 12% das crianças inglesas. Pior ainda, o estudo mostrou também que havia mais "fast foods" em áreas pobres do que áreas mais ricas da cidade. Embora o tipo de estudo não permita uma análise individual de cada criança, nem controla outros fatores de risco para a obesidade infantil, ele chama a atenção dos pais que estão preocupados com o tema. Então, se o seu filho está fora do peso além de limitar o uso de computador e televisão e colocá-lo para fazer ginástica, pode ser interessante morar longe de um MacDonalds  (Fraser & Edwards. The  association between the geography of fast food outlets and childhood obesity rates in Leeds, UK Health & Place 16 (2010) 1124–1128)

Escrito por Dr. Alexandre Faisal às 13h30

Sobre o Autor

Alexandre Faisal é ginecologista-obstetra, pós-doutor pela USP. Formado em Psicossomática pelo Instituto Sedes publicou o livro "Ginecologia Psicossomática" (Editora Atheneu). Participou do programa "Olha Você" do SBT e atualmente é colunista da Rádio USP (FM 93.7) e da Rádio Bandeirantes (FM 90.9). Já realizou diversas palestras médicas no país e no exterior. Apresenta palestras culturais em empresas sobre temas que tratam do universo feminino (Amantes na Arte, Mentes Inovadoras, O Erotismo).

Sobre o Blog

Acompanhe os boletins do "Saúde feminina: um jeito diferente de entender a mulher" que discutem os assuntos que interessam às mulheres e seus parceiros. Uma abordagem didática e bem-humorada das mais recentes pesquisas nacionais e internacionais sobre temas como gravidez, métodos anticoncepcionais, sexualidade, saúde mental, menopausa, adolescência, atividades físicas, dieta, relacionamento conjugal, etc. Aproveite.

Livro

Alexandre Faisal é coautor do livro "Segregos de Mulher - Diálogos entre um ginecologista e um psicanalista"



(Alexandre Faisal Cury e Rubens Marcelo Volich, Ed. Atheneu).

Histórico