Blog do Dr. Alexandre Faisal

22/11/2011

Ganhar pouco peso na gravidez também é ruim

     Ganho excessivo de peso na gravidez pode ser um problema para a mãe e para o bebê. Mas um estudo coreano mostra que ganhar pouco peso é ainda pior 

      Na sua opinião, quantos kilos em média uma gestante deve ganhar ao longo da gravidez?  Clique aqui para votar 


      Escute o aúdio abaixo ou leia o texto na íntegra

   

   

 

          A obesidade é um problema de saúde em mulheres em idade fértil. Admite-se que, atualmente, 25% da população adulta é obesa e que a taxa de obesidade tem aumentado rapidamente nas mulheres em idade fértil. Para citar um dado apenas, nos Estados Unidos a porcentagem de mulheres obesas que receberam assistência pré-natal aumentou de 16% em 1980 para 36% em 1999. Do mesmo modo, o ganho de peso na gravidez vem aumentando significativamente. Cerca de 40% das mulheres grávidas ganham mais peso do que é recomendado. Tanto a obesidade antes da concepção quanto o ganho excessivo de peso na gravidez estão associados com resultados obstétricos adversos.

 

          Um estudo coreano resolveu investigar qual destes dois fatores está mais associado com complicações obstétricas. Para isso eles analisaram retrospectivamente os prontuários médicos de mais de 2.400 mulheres que tinham recebido assistência pré-natal num hospital de Seul. E eles compararam os resultados perinatais de acordo com o Índice de Massa Corpórea (IMC) pré-gestacional e ganho de peso durante a gravidez. Vejamos os resultados: O risco de várias complicações na gravidez, tais como diabetes gestacional, hipertensão arterial, bebê com macrossomia fetal (peso superior a 4 kilos ao nascer) e baixo índice de Apgar foi sempre maior no grupo de mulheres obesas antes da gravidez, na comparação com as mulheres que tinham peso normal. Por outro lado, não houve associação entre ganho de peso durante a gravidez e resultados obstétricos adversos. Pelo contrário, resultados ruins foram observados nas mulheres que ganharam pouco peso na gestação. Para os autores, a resposta à questão inicial é: sobrepeso e obesidade antes da gestação são mais estreitamente relacionados aos resultados obstétricos adversos do que o ganho de peso excessivo durante a gravidez.

 

          Tudo isso reforça a já reconhecida recomendação para que as mulheres engravidem apenas ao estarem ou atingirem o peso adequado, tratando ou evitando a obesidade antes da decisão de engravidar. Já que segundo estes autores o excesso de peso antes é mais importante que o ganho excessivo de peso na gravidez. Mas vamos torcer para que as futuras gestantes não interpretem estes resultados como uma alvará para comer além da conta na gravidez. (Sae-Kyung Choi et al. The effects of pre-pregnancy body mass index and gestational weight gain on perinatal outcomes in Korean women: a retrospective cohort study. Reproductive Biology and Endocrinology 2011, 9:6)

Escrito por Dr. Alexandre Faisal às 10h43

Sobre o Autor

Alexandre Faisal é ginecologista-obstetra, pós-doutor pela USP. Formado em Psicossomática pelo Instituto Sedes publicou o livro "Ginecologia Psicossomática" (Editora Atheneu). Participou do programa "Olha Você" do SBT e atualmente é colunista da Rádio USP (FM 93.7) e da Rádio Bandeirantes (FM 90.9). Já realizou diversas palestras médicas no país e no exterior. Apresenta palestras culturais em empresas sobre temas que tratam do universo feminino (Amantes na Arte, Mentes Inovadoras, O Erotismo).

Sobre o Blog

Acompanhe os boletins do "Saúde feminina: um jeito diferente de entender a mulher" que discutem os assuntos que interessam às mulheres e seus parceiros. Uma abordagem didática e bem-humorada das mais recentes pesquisas nacionais e internacionais sobre temas como gravidez, métodos anticoncepcionais, sexualidade, saúde mental, menopausa, adolescência, atividades físicas, dieta, relacionamento conjugal, etc. Aproveite.

Livro

Alexandre Faisal é coautor do livro "Segregos de Mulher - Diálogos entre um ginecologista e um psicanalista"



(Alexandre Faisal Cury e Rubens Marcelo Volich, Ed. Atheneu).

Histórico