Blog do Dr. Alexandre Faisal

27/12/2011

Gestantes usam (e abusam) de medicamentos

    O uso de medicamentos durante a gestação deve ser muito criterioso. Um estudo americano revela o padrão (não muito saudável) de consumo de medicamentos na gravidez

     Você se auto medica?  Clique aqui para votar 


      Escute o aúdio abaixo ou leia o texto na íntegra

   

   

  

        O uso de medicamentos sem prescrição médica na gravidez é um sério problema tanto para a mãe, como para o feto. No entanto, os padrões deste tipo de consumo, irregular, de medicamentos, não é bem conhecido, em diversas partes do mundo. No Brasil, inclusive. Um estudo americano procurou sanar esta lacuna investigando o uso de medicamentos controlados durante a gravidez, em geral, mas com particular ênfase no primeiro trimestre e medicamentos. Para isso eles se beneficiaram dos dados de dois grandes estudos populacionais em andamento, que juntos já haviam incluído mais de 30.000 mulheres.

 

          Vamos aos resultados. Ao longo das últimas três décadas, o uso de medicamentos controlados, ou seja, que necessitam de prescrição médica, no primeiro trimestre da gravidez, aumentou mais de 60%. O número médio de medicamentos utilizados aumentou de 1,6 em 1976-1978 para 2,6 em 2006-2008. Outro dado impressionante, o uso de quatro ou mais medicamentos mais do que triplicou. Até 2008, aproximadamente 50% das mulheres relataram ter usado pelo menos um medicamento. Os autores observaram que o maior uso de prescrições médicas se associou com maior idade e maior escolaridade materna. Dentre as drogas/tratamentos mais prescritos estão a vacina contra o vírus da influenza, antibióticos e alguns antidepressivos. E eles confirmam que o aumento no uso de medicamentos com prescrição foi seguramente menor do que o aumento com medicamentos que dispensam receitas. Medicamentos que lá nos Estados Unidos podem ser comprados na lojinha da esquina ou no posto de gasolina.

 

          O assunto é muito sério já que o uso de medicamentos na gravidez envolve riscos fetais, que nem sempre podem ser remediados. E está mais do que na hora de nós brasileiros conhecermos que medicamentos, com ou sem orientação médica, nossas gestantes estão consumindo. (Mitchell et al. Medication use during pregnancy, with particular focus on prescription drugs: 1976-2008. Am J Obstet Gynecol 2011;205:51.e1-8).

Escrito por Dr. Alexandre Faisal às 17h30

Sobre o Autor

Alexandre Faisal é ginecologista-obstetra, pós-doutor pela USP. Formado em Psicossomática pelo Instituto Sedes publicou o livro "Ginecologia Psicossomática" (Editora Atheneu). Participou do programa "Olha Você" do SBT e atualmente é colunista da Rádio USP (FM 93.7) e da Rádio Bandeirantes (FM 90.9). Já realizou diversas palestras médicas no país e no exterior. Apresenta palestras culturais em empresas sobre temas que tratam do universo feminino (Amantes na Arte, Mentes Inovadoras, O Erotismo).

Sobre o Blog

Acompanhe os boletins do "Saúde feminina: um jeito diferente de entender a mulher" que discutem os assuntos que interessam às mulheres e seus parceiros. Uma abordagem didática e bem-humorada das mais recentes pesquisas nacionais e internacionais sobre temas como gravidez, métodos anticoncepcionais, sexualidade, saúde mental, menopausa, adolescência, atividades físicas, dieta, relacionamento conjugal, etc. Aproveite.

Livro

Alexandre Faisal é coautor do livro "Segregos de Mulher - Diálogos entre um ginecologista e um psicanalista"



(Alexandre Faisal Cury e Rubens Marcelo Volich, Ed. Atheneu).

Histórico