Blog do Dr. Alexandre Faisal

01/03/2012

Religiosidade influencia sexualidade dos casais

     A sexualidade dos casais está sujeita a diversas e variadas influências, inclusive religiosas e espirituais. Um  estudo americano avaliou o impacto da religiosidade na vida sexual de homens e mulheres. 

     Você acha que a religiosidade tem impacto positivo ou negativo sobre a sexualidade do casal?  Clique aqui para votar 

    

      

     

                A religiosidade é um dos aspectos fundamentais na vida de muitas mulheres e de seus pares. Surpreendentemente, há poucos trabalhos sobre os papéis da religiosidade e da espiritualidade em elementos subjetivos da sexualidade, tais como atitudes e fantasias sexuais. Um estudo no Texas, USA, investigou o papel da religião em uma etnicamente diversificada amostra de adultos jovens. Dentre os mais de 1400 participantes, quase 70% eram mulheres. Eles avaliaram diversos domínios da religiosidade, incluindo a espiritualidade, categorizada como a relação com o divino ou força superior, crenças paranormais e fundamentalismo. Este último, por exemplo, definido como a crença de que as atitudes são ditadas pela doutrina religiosa. Atitudes e fantasias foram avaliadas por meio de questionários e abordaram temas como masturbação, homoerotismo, sadomasoquismo, etc.

 

          Resultado mais importante e esperado; as diferenças entre os grupos religiosos em relação às atitudes sexuais foram estatisticamente significativas, sendo que a espiritualidade mediou esses efeitos. Já espiritualidade e o fundamentalismo foram fortes preditores do conservadorismo feminino. Para dar um exemplo, as mulheres atéias e agnósticas relataram significativamente mais fantasias sexuais do que mulheres de todas as outras religiosas. Na sequência, as cristãs e as hindus ficaram, respectivamente, em segundo e terceiro lugares, na pontuação do escore “fantasia sexual”. Tanto para homens, como para mulheres, todos os domínios da religiosidade tinham relações significativas, com atitudes e fantasias sexuais.

 

         

          Assim, se a demanda da mulher religiosa é por melhorar do funcionamento sexual, fica evidente que os profissionais de saúde devem enfocar os aspectos sistêmicos da religião da sua cliente, com destaque para a questão da espiritualidade. (Ahrold et al. The Relationship Among Sexual Attitudes, Sexual Fantasy, and Religiosity. Arch Sex Behav (2011) 40:619–630)

 

Escrito por Dr. Alexandre Faisal às 16h21

Sobre o Autor

Alexandre Faisal é ginecologista-obstetra, pós-doutor pela USP. Formado em Psicossomática pelo Instituto Sedes publicou o livro "Ginecologia Psicossomática" (Editora Atheneu). Participou do programa "Olha Você" do SBT e atualmente é colunista da Rádio USP (FM 93.7) e da Rádio Bandeirantes (FM 90.9). Já realizou diversas palestras médicas no país e no exterior. Apresenta palestras culturais em empresas sobre temas que tratam do universo feminino (Amantes na Arte, Mentes Inovadoras, O Erotismo).

Sobre o Blog

Acompanhe os boletins do "Saúde feminina: um jeito diferente de entender a mulher" que discutem os assuntos que interessam às mulheres e seus parceiros. Uma abordagem didática e bem-humorada das mais recentes pesquisas nacionais e internacionais sobre temas como gravidez, métodos anticoncepcionais, sexualidade, saúde mental, menopausa, adolescência, atividades físicas, dieta, relacionamento conjugal, etc. Aproveite.

Livro

Alexandre Faisal é coautor do livro "Segregos de Mulher - Diálogos entre um ginecologista e um psicanalista"



(Alexandre Faisal Cury e Rubens Marcelo Volich, Ed. Atheneu).

Histórico