Blog do Dr. Alexandre Faisal

03/04/2012

Crenças afetam a opinião dos ginecologistas sobre anticoncepcionais ?

     A escolha de determinado método contraceptivo depende de muitos fatores, incluindo os não médicos. Um estudo americano avalia se as crenças dos ginecologistas são um destes fatores

    Qual é o seu método anticoncepcional preferido ?  Clique aqui para votar 

    

    

    

             Em 2010 completaram-se 50 anos da aprovação das pílulas anticoncepcionais pelo FDA (Food and Drug Adminstration). E nestas 5 décadas, a pílula foi ganhando, pouco a pouco, território, a ponto de mais de 80% da população americana tê-la usado em algum momento.  Mas a anticoncepção feminina não se restringe às pilulas e aos métodos hormonais. E além disso muitas influências podem interferir com a prescrição de determinados métodos. Incluindo a crença dos obstetras e ginecologistas. Isso mesmo, o que pensa e no que acredita o médico são fatores importantes neste domínio. E, de modo geral, poucas pesquisam abordam este tema.

 

          Pois bem, um estudo americano tentou reparar esta lacuna objetivando caracterizar as crenças sobre contracepção dos ginecologistas-obstetras. Eles queiram saber se os médicos tinham alguma objeção moral ou ética aos diferentes métodos. 1154 ginecologistas responderam os questionários enviados pelo correio. Vamos aos resultados, primeiramente, levando em conta o grau de rejeição do método. A maior rejeição foi em relação ao DIU com 4,4%, seguida pelo implantes de progesterona e / ou injeções com 1,7. Depois vieram a laqueadura tubária com 1,5% e os contraceptivos orais com 1,3%. Curiosamente os preservativos, o diafragma e espermicida tiveram taxas mais baixas de rejeição. Um dado esperado: Médicos religiosos eram até 2 vezes mais propensos a rejeitarem a prescrição dos anticoncepcionais. Isso porque eles, os médicos religiosos, tinham tendência a optarem por métodos naturais.

 

   

       Felizmente, o que se conclui é que entre os ginecologistas-obstetras, objeções e recusas para fornecer contraceptivos não são freqüentes. Ainda bem, pois só o que faltava era a mulher sair da sua consulta sobre métodos contraceptivos com mais dúvidas e questionamentos do que quando entrou no consultório. (Lawrence RE, Rasinski KA, Yoon JD, et al. Obstetrician-gynecologists’ views on contraception and natural family planning: a national survey. Am J Obstet Gynecol 2011;204:124.e1-7).

  

    

    

Escrito por Dr. Alexandre Faisal às 10h27

Sobre o Autor

Alexandre Faisal é ginecologista-obstetra, pós-doutor pela USP. Formado em Psicossomática pelo Instituto Sedes publicou o livro "Ginecologia Psicossomática" (Editora Atheneu). Participou do programa "Olha Você" do SBT e atualmente é colunista da Rádio USP (FM 93.7) e da Rádio Bandeirantes (FM 90.9). Já realizou diversas palestras médicas no país e no exterior. Apresenta palestras culturais em empresas sobre temas que tratam do universo feminino (Amantes na Arte, Mentes Inovadoras, O Erotismo).

Sobre o Blog

Acompanhe os boletins do "Saúde feminina: um jeito diferente de entender a mulher" que discutem os assuntos que interessam às mulheres e seus parceiros. Uma abordagem didática e bem-humorada das mais recentes pesquisas nacionais e internacionais sobre temas como gravidez, métodos anticoncepcionais, sexualidade, saúde mental, menopausa, adolescência, atividades físicas, dieta, relacionamento conjugal, etc. Aproveite.

Livro

Alexandre Faisal é coautor do livro "Segregos de Mulher - Diálogos entre um ginecologista e um psicanalista"



(Alexandre Faisal Cury e Rubens Marcelo Volich, Ed. Atheneu).

Histórico