Blog do Dr. Alexandre Faisal

15/05/2012

Mulher obesa tem mais problemas sexuais do que homem obeso

      As dificuldades sexuais das pessoas obesas são menos estudadas do que outros aspectos clínicos da saúde. Um estudo americano compara a sexualidade de homens e mulheres obesas. 

    Você considera que a obesidade interfere na sexualidade ?  Clique aqui para votar

     

      

      

      

         A obesidade é um problema crescente em várias partes do mundo, incluindo o Brasil. Além de diversas complicações clínicas, pessoas obesas, freqüentemente, experimentam problemas de estigmatização, discriminação e preconceito. Natural que possam hesitar em discutir temas sensíveis, como funcionamento sexual, até mesmo com um profissional da saúde. Entender como anda a sexualidade destas pessoas é uma etapa prévia importante para paientes e médicos.

 

         Um estudo americano realizado na Carolina do Norte procurou avaliar o funcionamento sexual de 91 homens e 134 mulheres obesas, que se inscreveram para um programa de perda de peso, usando um questionário já validado sobre funcionamento sexual. Os participantes tinham idades entre 18-65 anos e Índice de Massa Corpórea entre 30-50. Os pesquisadores constataram pontuações mais baixas para as mulheres do que para os homens, indicando que a função sexual da mulher obesa é pior do que a do homem. Para se ter uma noção da dimensão do problema, as pontuações dos homens estivam entre aquelas de um grupo de sobreviventes de câncer e de um grupo da população, em geral. Já para as mulheres os escores estavam abaixo de todos estes grupos. Uma dado importante, o aumento do Índice de Massa Corporal se associou com piora de certos domínios da função sexual, tal como, por exemplo, a excitação. E para quem estava sem vida sexual recente, as auto-avaliações da sexualidade eram também piores.

 

          Para explicar a píor performance da mulheres obesas, os autores destacam que neste grupo, havia mais homens casados do que mulheres casados. Moral da história, para aqueles que reclamam das agruras do casamento, neste caso, é melhor estar acompanhado do que só. (Kolotkin et al. Sexual Functioning in Obese Adults Enrolling in a Weight Loss StudyJournal of Sex & Marital Therapy, 37:224–235, 2011)

 

    

      

     

      

 

Escrito por Dr. Alexandre Faisal às 13h08

Sobre o Autor

Alexandre Faisal é ginecologista-obstetra, pós-doutor pela USP. Formado em Psicossomática pelo Instituto Sedes publicou o livro "Ginecologia Psicossomática" (Editora Atheneu). Participou do programa "Olha Você" do SBT e atualmente é colunista da Rádio USP (FM 93.7) e da Rádio Bandeirantes (FM 90.9). Já realizou diversas palestras médicas no país e no exterior. Apresenta palestras culturais em empresas sobre temas que tratam do universo feminino (Amantes na Arte, Mentes Inovadoras, O Erotismo).

Sobre o Blog

Acompanhe os boletins do "Saúde feminina: um jeito diferente de entender a mulher" que discutem os assuntos que interessam às mulheres e seus parceiros. Uma abordagem didática e bem-humorada das mais recentes pesquisas nacionais e internacionais sobre temas como gravidez, métodos anticoncepcionais, sexualidade, saúde mental, menopausa, adolescência, atividades físicas, dieta, relacionamento conjugal, etc. Aproveite.

Livro

Alexandre Faisal é coautor do livro "Segregos de Mulher - Diálogos entre um ginecologista e um psicanalista"



(Alexandre Faisal Cury e Rubens Marcelo Volich, Ed. Atheneu).

Histórico