Blog do Dr. Alexandre Faisal

23/08/2012

Dormir mal aumenta em 57% o risco de cesariana de urgência

     Reduzir cesarianas de urgência é importante para a gestante e seu bebê. Um sueco avalia se estresse e má qualidade do sono são fatores de risco para esta grave complicação obstétrica 

    Como é a qualidade do seu sono?  Clique aqui para votar

 

 

 

          Existem alguns fatores bem conhecidos para cesariana de urgência, onde a vida da mãe ou do bebê, isoladas ou simultaneamente, correr riscos. A esta lista nos devemos acrescentar estresse, preocupações e má qualidade do sono. A pesquisa realizada na cidade de Malmo, na Suécia, avaliou mais de 6400 gestantes na primeira gestação enfatizando aspectos relacionados ao estado mental. Foram controladas outras variáveis tais como diabetes gestacional, idade da mãe, período da gestação, uso de peridural, etc, etc. Após os ajustes, 3 variáveis se associaram com cesariana de urgência: estresse, sono ruim e preocupações.

       As estimativas de risco mostraram que, por exemplo, o estresse aumentou em 66% a chance da gestante ser submetida à uma cesariana. No caso do sono de má qualidade, o aumento do risco foi da ordem de 57%. As implicações do estudo são claras: vale a pena investigar o estado mental da gestante, avaliando as situações estressantes do dia a dia, a qualidade do sono e a presença de preocupações que, muitas vezes, são intensas e incapacitantes. Uma vez confirmada a existência destes problemas, caberia adotar medidas de suporte social ou tratamento. Medidas no geral, simples e práticas, oferecidas por médicos, enfermeiras ou psicólogas. O benefício seria uma redução significativa das cesarianas de urgência, que acarretam sim uma periculosidade adicional na comparação com cesarianas programadas.

          Se uma cesariana planejada traz alguns riscos, a cesariana de urgência ainda é mais complicada. E lá na Suécia isso é um problema que preocupa não só as gestantes, mas também os médicos. Bem, esta aí uma coisa que nós médicos brasileiros podemos aprender com nossos colegas suecos.  (Wangel et al. Acta Obstetricia et Gynecologica 2011; 90: 238-44)

 

 

Escrito por Dr. Alexandre Faisal às 11h43

Sobre o Autor

Alexandre Faisal é ginecologista-obstetra, pós-doutor pela USP. Formado em Psicossomática pelo Instituto Sedes publicou o livro "Ginecologia Psicossomática" (Editora Atheneu). Participou do programa "Olha Você" do SBT e atualmente é colunista da Rádio USP (FM 93.7) e da Rádio Bandeirantes (FM 90.9). Já realizou diversas palestras médicas no país e no exterior. Apresenta palestras culturais em empresas sobre temas que tratam do universo feminino (Amantes na Arte, Mentes Inovadoras, O Erotismo).

Sobre o Blog

Acompanhe os boletins do "Saúde feminina: um jeito diferente de entender a mulher" que discutem os assuntos que interessam às mulheres e seus parceiros. Uma abordagem didática e bem-humorada das mais recentes pesquisas nacionais e internacionais sobre temas como gravidez, métodos anticoncepcionais, sexualidade, saúde mental, menopausa, adolescência, atividades físicas, dieta, relacionamento conjugal, etc. Aproveite.

Livro

Alexandre Faisal é coautor do livro "Segregos de Mulher - Diálogos entre um ginecologista e um psicanalista"



(Alexandre Faisal Cury e Rubens Marcelo Volich, Ed. Atheneu).

Histórico