Blog do Dr. Alexandre Faisal

26/03/2013

Café faz mal à saúde?

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Tomar um (ou vários) cafezinho é uma paixão nacional. Mas muitas pessoas ficam preocupadas se isso pode ser ruim para a saúde. Uma revisão de estudos avalia o impacto do uso do café (e vai deixar estas pessoas mais tranquilas)

Você acha que café faz bem ou mal à saúde ?  Clique aqui para votar

 

          Muitas pessoas, homens e mulheres, são fanáticos por um cafezinho: após as refeições, no meio do dia ou em qualquer momento de lazer ou no trabalho. Mas muitos sofrem com aquela sensação incômoda de que estão tomando muito café e que café faz mal à saúde. Será que isso é verdade?. Responder esta questão foi o objetivo de uma recente revisão de estudos afins que relacionavam uso do café com diversos desfechos de saúde, desde riscos cardiovasculares até câncer. A revisão foi publicada no periódico Maturitas. E o resultado vai agradar os apaixonados por café, que é uma das bebidas mais consumidas em todo o mundo.

          Antes vale lembrar que o café inclui uma mistura complexa de compostos, em que a cafeína é talvez o mais conhecido. No entanto, o café é também rico em outras substâncias bioativas com grande variedade de efeitos fisiológicos. A lista compreende até 1000 fitoquímicos descritos que incluem ácido clorogênico, lactonas, além de niacina, vitamina B3, magnésio e potássio. Mas vejamos as principais conclusões. Existe um significativo impacto do café sobre o sistema cardiovascular e sobre o metabolismo dos hidratos de carbono e lipídeos. Mas, ao contrário da crença anterior, as várias formas de doença cardiovascular arterial, arritmias, insuficiência cardíaca não parecem ser afetadas pela ingestão de café. Mais ainda, o café é associado com uma redução na incidência de diabetes e doença hepática. O café parece exercer efeito protetor para a doença de Parkinson, enquanto o seu potencial como um fator de risco da osteoporose está em debate. Quanto ao risco de câncer as incertezas são mais evidentes, já que o efeito do café depende do tecido ou órgão em questão. Por exemplo, o aumento do risco de câncer de pulmão pode ser, de fato, decorrente da conhecida associação entre consumo de café e tabagismo, e não um efeito direto do café. Já para câncer de endométrio o efeito parecer ser protetor. No cômputo geral, o consumo de café reduz a mortalidade. Apesar deste otimismo que muda a percepção anterior negativa sobre o café, temos que aguardar novos estudos melhor elaborados para avaliar o impacto da bebida sobre a saúde.

          É claro que o café não substitui uma dieta e vida saudável e equilibrada. Mas enquanto isso, nós que somos adeptos, podemos ficar menos preocupados ou culpados com nossos cafezinhos diários. Pensando nisso que tal um cafezinho para comemorar estes resultados?. (Cano-Marquina et al. The impact of coffee on health. Maturitas, 2013)

 

 

Escrito por Dr. Alexandre Faisal às 10h31

Sobre o Autor

Alexandre Faisal é ginecologista-obstetra, pós-doutor pela USP. Formado em Psicossomática pelo Instituto Sedes publicou o livro "Ginecologia Psicossomática" (Editora Atheneu). Participou do programa "Olha Você" do SBT e atualmente é colunista da Rádio USP (FM 93.7) e da Rádio Bandeirantes (FM 90.9). Já realizou diversas palestras médicas no país e no exterior. Apresenta palestras culturais em empresas sobre temas que tratam do universo feminino (Amantes na Arte, Mentes Inovadoras, O Erotismo).

Sobre o Blog

Acompanhe os boletins do "Saúde feminina: um jeito diferente de entender a mulher" que discutem os assuntos que interessam às mulheres e seus parceiros. Uma abordagem didática e bem-humorada das mais recentes pesquisas nacionais e internacionais sobre temas como gravidez, métodos anticoncepcionais, sexualidade, saúde mental, menopausa, adolescência, atividades físicas, dieta, relacionamento conjugal, etc. Aproveite.

Livro

Alexandre Faisal é coautor do livro "Segregos de Mulher - Diálogos entre um ginecologista e um psicanalista"



(Alexandre Faisal Cury e Rubens Marcelo Volich, Ed. Atheneu).

Histórico