Blog do Dr. Alexandre Faisal

09/04/2013

7% das gestantes usam antinflamatórios

 

Medicamentos antiinflamatórios são muito usados em diversas situações clínicas, inclusive na gestação.  Um estudo norueguês avalia a frequência do uso e o impacto destas medicações sobre o bebê.

Você conhece a classificação do risco de teratogenicidade das drogas (medicamentos) na gravidez? Clique aqui para votar

          Gestantes e seus parceiros ficam muito temerosos de usarem antiinflamatórios em função do risco para o futuro bebê. No entanto, para algumas situações clínicas, médicos prescrevem para suas gestantes, os antinflamatórios como parte do tratamento. São situações comuns como dores musculares diversas, alguns tipos de dores de cabeça, faringite, dores articulares, etc. Aí surge uma dúvida na cabeça dos pais e principalmente da mulher: será que isso não fará mal para meu bebê?. Muitas gestantes preferem tolerar os sintomas da doença a terem que colocar em risco a gestação ou seu filho que vai nascer. Um estudo noruguês vai tranquilizar as mamães que vivem este dilema.

          Os pesquisadores avaliaram, prospectivamente, mais de 90 mil grávidas para estabelecer o elo entre uso de medicações antiinflamatórias, tais como ibuprofeno, diclofenaco, naproxeno, piroxicam e complicações obstétricas e no recém-nascido. Foram avaliados por exemplo a mortalidade infantil, malformações congênitas, defeitos estruturais do coração, complicações ao nascer, hemorragia durante a gravidez e pós-parto, e até asma na idade de 18 meses. Primeiro resultado importante, 6511 grávidas  (ou 7,2% da amostra) usaram 1 ou mais antiinflamatórios durante a gestação.  Quanto ao impacto desta medicações, não foi observado nenhum efeito sobre as taxas de sobrevida infantil, de malformação congênita ou defeitos estruturais do coração. Por outro lado, tanto ibuprofeno quanto diclofenaco usados no segundo trimestre se associaram  com baixo peso ao nascer, que é definido com peso menor do que 2.500 ao nascimento. Mas isso pode ter ocorrido em função da própria inflamação que estava sendo medicada e não da medicação em si. De qualquer modo o risco do baixo peso foi pequeno, sem grande significância clínica.

          Um dado chama a atenção: o risco de desenvolvimento de asma com 18 meses de vida associado ao uso de antiinflamatórios. E existe uma explicação: certos antiinflamatórios inibem uam enzima a COX1 importante na formação das vias aéreas do feto, levando a bonuiconstricção típica dos casos de bronquite. Resumo da história: apesar do seu uso ser contraindicado no terceiro trimestre,1.3% das gestantes dinamarquesas usaram antiinflamatórios, mas, felizmente, não tiveram complicações importante decorrentes deste uso. Não se trata de uma sentença definitiva de inocência,mas sim um belo álibi para os antiinflamatórios. De qualquer forma vale a recomendação, use se precisar, mas com moderação (Nezvalova-Henriksen K, Spigset O, Nordeng H .Effects of ibuprofen, diclofenac, naproxen, and piroxicam on the course of pregnancy and pregnancy outcome: a prospective cohort study. BJOG 2013)

Escrito por Dr. Alexandre Faisal às 15h15

Sobre o Autor

Alexandre Faisal é ginecologista-obstetra, pós-doutor pela USP. Formado em Psicossomática pelo Instituto Sedes publicou o livro "Ginecologia Psicossomática" (Editora Atheneu). Participou do programa "Olha Você" do SBT e atualmente é colunista da Rádio USP (FM 93.7) e da Rádio Bandeirantes (FM 90.9). Já realizou diversas palestras médicas no país e no exterior. Apresenta palestras culturais em empresas sobre temas que tratam do universo feminino (Amantes na Arte, Mentes Inovadoras, O Erotismo).

Sobre o Blog

Acompanhe os boletins do "Saúde feminina: um jeito diferente de entender a mulher" que discutem os assuntos que interessam às mulheres e seus parceiros. Uma abordagem didática e bem-humorada das mais recentes pesquisas nacionais e internacionais sobre temas como gravidez, métodos anticoncepcionais, sexualidade, saúde mental, menopausa, adolescência, atividades físicas, dieta, relacionamento conjugal, etc. Aproveite.

Livro

Alexandre Faisal é coautor do livro "Segregos de Mulher - Diálogos entre um ginecologista e um psicanalista"



(Alexandre Faisal Cury e Rubens Marcelo Volich, Ed. Atheneu).

Histórico