Blog do Dr. Alexandre Faisal

09/07/2013

Morar perto de redes de transmissão de energia aumenta o risco de câncer?

     Morar perto de torres de transmissão de energia é cada vez mais comum. Um estudo inglês avalia se existe maior risco de desenvolver certos tipos de câncer nas pessoas que vivem perto da rede de energia de alta tensão 

     Você considera preocupante morar perto de redes de transmissão de energia?  Clique aqui para votar

 

 

 

 

 

 

          É crescente o número de pessoas que vivem próximas de linhas de transmissão de energia, muitas delas de alta voltagem. Um fenômeno associado, muitas vezes, ao crescimento populacional desenfreado e a falta de planejamento urbano. Em certos países como o Reino Unido é comum que habitações luxuosas sejam próximas destas redes de alta voltagem. Uma preocupação pode surgir na cabeça das pessoas que vivem nestas áreas: será que a exposição a campos magnéticos um fator de risco para câncer?. Estudos prévios haviam sugerido esta associação entre os campos magnéticos de baixa frequência e leucemia infantil, sem saber explicar completamente o achado. Pois bem, um estudo realizado na Inglaterra e Wales tem uma excelente notícia para quem vive nestas áreas: eles não encontraram esta incomoda associação, ou seja, viver perto da linha de transmissão não aumenta o risco de câncer.

         Eles realizaram o maior estudo epidemiológico sobre o tema. Trata-se de um estudo de caso-controle. Dentre os casos havia mais de 52 mil diagnósticos de câncer do Sistema Nervoso Central, tumores cerebrais, leucemia, melanoma e câncer de mama. Dentre os controles, mais de 79 mil diagnósticos de outros tipos de câncer que não tem, em tese, qualquer relação com exposição a campos magnéticos. Todos os participantes tinham entre 15 e 74 anos e moravam há no máximo 1 km das linhas de energia. Estimativas da distância da residência para as redes de energia e intensidade da exposição foram obtidas para todos os envolvidos no estudo. Resumo da história: mesmo controlando para outras variáveis importantes, tais como idade, nível sócio-econômico e gênero, os autores não encontraram associação entre certos tipos de câncer e morar perto das linhas de transmissão de alta-voltagem.

          Uma conclusão que tranquiliza as pessoas que já vivem nestes locais ou mesmo aquelas que planejam ou precisam viver numa região cheia de torres de eletricidade. É o tipo do resultado que, digamos, não vai causar nenhum grande choque nas pessoas. (Elliot et al. Adult cancers near high-voltage overhead Power lines. Epidemiology 2013;24:184-190)        

 

 

Escrito por Dr. Alexandre Faisal às 16h22

Sobre o Autor

Alexandre Faisal é ginecologista-obstetra, pós-doutor pela USP. Formado em Psicossomática pelo Instituto Sedes publicou o livro "Ginecologia Psicossomática" (Editora Atheneu). Participou do programa "Olha Você" do SBT e atualmente é colunista da Rádio USP (FM 93.7) e da Rádio Bandeirantes (FM 90.9). Já realizou diversas palestras médicas no país e no exterior. Apresenta palestras culturais em empresas sobre temas que tratam do universo feminino (Amantes na Arte, Mentes Inovadoras, O Erotismo).

Sobre o Blog

Acompanhe os boletins do "Saúde feminina: um jeito diferente de entender a mulher" que discutem os assuntos que interessam às mulheres e seus parceiros. Uma abordagem didática e bem-humorada das mais recentes pesquisas nacionais e internacionais sobre temas como gravidez, métodos anticoncepcionais, sexualidade, saúde mental, menopausa, adolescência, atividades físicas, dieta, relacionamento conjugal, etc. Aproveite.

Livro

Alexandre Faisal é coautor do livro "Segregos de Mulher - Diálogos entre um ginecologista e um psicanalista"



(Alexandre Faisal Cury e Rubens Marcelo Volich, Ed. Atheneu).

Histórico