Blog do Dr. Alexandre Faisal

04/11/2013

Cheiro influencia (muito) o comportamento sexual

 

O olfato, tanto quanto a visão, desempenha papel importante na atração entre homens e mulheres. Um editorial explica como e porque isso ocorre

Em relação ao comportamento sexual humano, qual sentido é mais importante ?  Clique aqui para  votar

          Aceita-se que a visão é o sentido mais importante e dominante no comportamento humano. Incluindo o comportamento sexual. A idéia é que os seres humanos e outros primatas são considerados como animais ópticos, com poder de visão altamente desenvolvido, mas com capacidades olfativas relativamente pouco desenvolvidas. Mas isso pode não ser bem assim. Uma recente revisão aborda a comunicação olfativa entre os humanos, que vem ganhando crescente interesse científico. Experiências animais já demonstravam que o cheiro desempenha papel crucial na atração entre machos e fêmeas e isso possivelmente se aplica a homens e mulheres.  

          Uma explicação é que nós somos cheiradores limitados e dependemos de pistas visuais e verbais para avaliar nossos potenciais companheiros sexuais. O fato é que os estímulos visuais desempenham papel fundamental na percepção do outro dentro de um contexto social e sexual, especialmente à distância, mas quando indivíduos se aproximam e há intimidade é provável que o cheiro também desempenhe um papel-chave de uma variedade de comportamentos sócio-sexuais. E tudo isso pode ocorrer inconscientemente. A chave está na produção e reconhecimento dos ferohormônios. A palavra oriunda do grego significa mais ou menos “caminho ou estímulo para a excitação”. Os principais produtores de feromônios humanos são as glândulas apócrinas localizadas na região pubiana e axilas. Eles são, na verdade, mensageiros químicos emitidos pelo corpo para o ambiente, com o intuito de ativar resposta fisiológica ou comportamental em outros indivíduos da mesma espécie. Numa das vias biológicas, eles atuam no eixo Hipotálamo-Hipófise-Adrenal e desencadeiam a liberação do hormônio GnRH, que, por sua vez, libera as gonadotrofinas, que vão promover a liberação dos hormônios. Estes atuarão na maturação folicular da mulher e produção de espermatozóide, no homem.

          Admite-se a existência de 4 tipos de funções específicas dos feromônios: para atrair pessoas do sexo oposto, repelentes de pessoas do mesmo sexo, promotor do vínculo mãe-filho e moduladores do ciclo menstrual. Diversas evidências de experimentos científicos em animais e humanos confirmam a primeira função dos ferohormonios: de atração das pessoas do sexo oposto. Mas novos estudos ainda são necessários. Para não dizer urgentes já que atualmente é possível isolar e fabricar feromonas humanas sintéticas de modo simples e descomplicado.

          No entanto, duas observações merecem atenção, principalmente por parte das mulheres. O uso de contraceptivos orais pode prejudicar a percepção destas substâncias. O excesso de higiene idem. Isso mesmo, a cultuar vigente que sobrevaloriza a limpeza não ajuda muito o reconhecimento dos ferohormonios e, portanto, atrapalha bastante o interesse sexual. Como se vê, dá para imaginar alguém reclamando que a parceira não é lá muito cheirosa, mas, no fundo, é justamente por isso que ela é tão desejada. (Grammer et al. Human pheromones and sexual attraction European Journal of Obstetrics & Gynecology and Reproductive Biology 118 (2005) 135–142)

 

Escrito por Dr. Alexandre Faisal às 21h22

Sobre o Autor

Alexandre Faisal é ginecologista-obstetra, pós-doutor pela USP. Formado em Psicossomática pelo Instituto Sedes publicou o livro "Ginecologia Psicossomática" (Editora Atheneu). Participou do programa "Olha Você" do SBT e atualmente é colunista da Rádio USP (FM 93.7) e da Rádio Bandeirantes (FM 90.9). Já realizou diversas palestras médicas no país e no exterior. Apresenta palestras culturais em empresas sobre temas que tratam do universo feminino (Amantes na Arte, Mentes Inovadoras, O Erotismo).

Sobre o Blog

Acompanhe os boletins do "Saúde feminina: um jeito diferente de entender a mulher" que discutem os assuntos que interessam às mulheres e seus parceiros. Uma abordagem didática e bem-humorada das mais recentes pesquisas nacionais e internacionais sobre temas como gravidez, métodos anticoncepcionais, sexualidade, saúde mental, menopausa, adolescência, atividades físicas, dieta, relacionamento conjugal, etc. Aproveite.

Livro

Alexandre Faisal é coautor do livro "Segregos de Mulher - Diálogos entre um ginecologista e um psicanalista"



(Alexandre Faisal Cury e Rubens Marcelo Volich, Ed. Atheneu).

Histórico