Blog do Dr. Alexandre Faisal

11/02/2014

Uso do alho via oral não melhora sintomas da candidíase vaginal

   Tratamentos alternativos são usados por mulheres com candidíase vaginal recidivante. Um ensaio clínicio australiano avalia se o uso do alho por via oral resolve este incômodo problema.  

   Você usa(ria) tratamentos alternativos para corrimentos vaginais ? Clique aqui para votar

 

 

       

          Muitas mulheres sofrem com a candidíase. Basta ficar de baixo astral ou doente, usar um jeans apertado, calçinha de lycra ou passar muito tempo na piscina que o fungo ataca, provocando um corrimento vaginal branco com prurido intenso. O tratamento com cremes e comprimidos até que funciona bem, mas em alguns casos o problema teima em voltar. Neste cenário, usar tratamentos alternativos é comum. O alho em teste é efetivo contra as espécies de Candida in vitro, mas nunca havia sido testado como terapia alternativa em mulheres com candidíase vulvovaginal. Mas agora foi. Um ensaio clínico australiano avaliou se a ingestão do alho reduzia a contagem do fungo durante a segunda metade do ciclo menstrual em 63 mulheres assintomáticas, mas que apresentavam alguma espécie de Candida. As participantes foram randomizadas para receber três comprimidos de alho ou placebo por via oral, duas vezes por dia, durante 14 dias. As pastilhas eram iguais e o odor do alho foi mascarado para garantir a validade dos resultados. Após este período eles calcularam a proporção de mulheres com contagem de colônias de Candida superior a 100 unidades por ml, em qualquer dia na semana anterior à menstruação.

          A má notícia é que eles não encontraram diferenças entre os dois grupos tratados. Do mesmo modo, o número de mulheres que apresentaram queixas de candidíase foi semelhante. E para complicar ainda mais, as mulheres que ingeriram alho tiveram mais reações adversas tais como dor estômago, náusea e mau hálito. Os autores concluem que alho não é uma opção de tratamento alternativo para candidíase vaginal. É, como se observa tentar tratar candidíase vaginal com alho, não só não melhora o corrimento como ainda causa mau hálito.  (Watson CJ, Grando D, Fairley CK, Chondros P, Garland SM, Myers SP, Pirotta M. The effects of oral garlic on vaginal candida colony counts: a randomised placebo controlled double-blind trial. BJOG 2013)

Escrito por Dr. Alexandre Faisal às 11h13

Sobre o Autor

Alexandre Faisal é ginecologista-obstetra, pós-doutor pela USP. Formado em Psicossomática pelo Instituto Sedes publicou o livro "Ginecologia Psicossomática" (Editora Atheneu). Participou do programa "Olha Você" do SBT e atualmente é colunista da Rádio USP (FM 93.7) e da Rádio Bandeirantes (FM 90.9). Já realizou diversas palestras médicas no país e no exterior. Apresenta palestras culturais em empresas sobre temas que tratam do universo feminino (Amantes na Arte, Mentes Inovadoras, O Erotismo).

Sobre o Blog

Acompanhe os boletins do "Saúde feminina: um jeito diferente de entender a mulher" que discutem os assuntos que interessam às mulheres e seus parceiros. Uma abordagem didática e bem-humorada das mais recentes pesquisas nacionais e internacionais sobre temas como gravidez, métodos anticoncepcionais, sexualidade, saúde mental, menopausa, adolescência, atividades físicas, dieta, relacionamento conjugal, etc. Aproveite.

Livro

Alexandre Faisal é coautor do livro "Segregos de Mulher - Diálogos entre um ginecologista e um psicanalista"



(Alexandre Faisal Cury e Rubens Marcelo Volich, Ed. Atheneu).

Histórico