Blog do Dr. Alexandre Faisal

11/03/2014

Psicoterapia é efetiva para tratar anorexia

    Anorexia é um transtorno alimentar que afeta, principalmente, jovens mulheres. Um estudo alemão avalia a  eficácia de modalidades de psicoterapia para tratamento ambulatorial deste sério problema

  Você acha que os padrões atuais de beleza contribuem para surgimento de casos de anorexia? Clique aqui para votar

 

 

 

 

 

           A anorexia nervosa é um sério problema: tem evolução longa, as recaídas são comuns, se associa com vários problemas médicos, e tem a maior mortalidade dentre as doenças mentais. Acomete pelo menos oito pessoas por 100 000 por ano, com prevalência de 3 em cada 1000 adolescentes e mulheres jovens. O tratamento de escolha para pacientes com anorexia nervosa é a psicoterapia. Ela tem como objetivo diminuir os riscos associados com a doença, promover o ganho de peso, reduzir os sintomas relacionados, além de facilitar a recuperação física e psicológica. Parece pouco, mas não é. Já que os estudos questionam a eficácia das terapias psicológicas. Mas, felizmente, pesquisadores da Alemanha têm boas notícias.

          Eles realizaram um ensaio clínico comparando 3 tipos de tratamentos psicológicos ambulatoriais em mulheres adultas recrutadas de 10 hospitais universitários. Foram incluídas cerca de 80 mulheres para os seguintes tipos de terapia: focal psicodinâmica, comportamental cognitiva e um tratamento costumizado que combinava elementos de psicoterapia com atendimento estruturado fornecido por um médico de família. Os tratamentos duraram 10 meses e ao final do estudo as participantes eram avaliadas quanto ao ganho de peso, aumento do índice de massa corporal (IMC) e bem estar psicológico. Os resultados são promissores. Ao final do seguimento, o IMC aumentou em todos os grupos de estudo sem diferenças significativas entre eles. Após 12 meses, os resultados eram ainda melhores, já que o IMC havia aumentado ainda mais. Também não foram observadas reações adversas graves decorrentes de eventual perda de peso ou do próprio tratamento. No geral, o tratamento costumizado foi eficaz e pode ser usado como primeira linha de tratamento para casos de anorexia. Uma limitação do estudo foi a alta taxa de desistência, 30%, uma situação bem comum, já que a aceitação do tratamento é um grande desafio no manejo de pacientes com anorexia nervosa.

          A principal razão para esta dificuldade é normalmente a alta ambivalência da paciente e não aceitação da gravidade da doença. E para os terapeutas não é nada fácil. Eles não só têm que lidar com um processo de terapia frequentemente difícil, mas também devem assumir responsabilidades pelas complicações físicas e psiquiátricas associadas à anorexia. Mas a julgar pelos resultados, a vida dos médicos que cuidam de anorexia nervosa vai ficar menos complicada. (Zipfel et al. Focal psychodynamic therapy, cognitive behaviour therapy, and optimised treatment as usual in outpatients with anorexia nervosa (ANTOP study): randomised controlled trial. Lancet 2014; 383: 127–37)

 

 

 

 

 

Escrito por Dr. Alexandre Faisal às 12h44

Sobre o Autor

Alexandre Faisal é ginecologista-obstetra, pós-doutor pela USP. Formado em Psicossomática pelo Instituto Sedes publicou o livro "Ginecologia Psicossomática" (Editora Atheneu). Participou do programa "Olha Você" do SBT e atualmente é colunista da Rádio USP (FM 93.7) e da Rádio Bandeirantes (FM 90.9). Já realizou diversas palestras médicas no país e no exterior. Apresenta palestras culturais em empresas sobre temas que tratam do universo feminino (Amantes na Arte, Mentes Inovadoras, O Erotismo).

Sobre o Blog

Acompanhe os boletins do "Saúde feminina: um jeito diferente de entender a mulher" que discutem os assuntos que interessam às mulheres e seus parceiros. Uma abordagem didática e bem-humorada das mais recentes pesquisas nacionais e internacionais sobre temas como gravidez, métodos anticoncepcionais, sexualidade, saúde mental, menopausa, adolescência, atividades físicas, dieta, relacionamento conjugal, etc. Aproveite.

Livro

Alexandre Faisal é coautor do livro "Segregos de Mulher - Diálogos entre um ginecologista e um psicanalista"



(Alexandre Faisal Cury e Rubens Marcelo Volich, Ed. Atheneu).

Histórico