Blog do Dr. Alexandre Faisal

25/03/2014

40% das americanas não sabem calcular o período fértil

  Informações precisas sobre fertilidade e concepção são importantes. Um estudo americano avalia o nível de conhecimento das mulheres de diferentes idades sobre estes temas

  Na sua opinião, qual o nível de informação e conhecimento das mulheres sobre fertilidade e concepção? Clique aqui para votar


 

 

         A questão é intrigante: será que as mulheres realmente tem conhecimentos e atitudes relacionadas à concepção corretos e pertinentes?. Ou, pelo contrário, estes temas são cercados de informações imprecisas e inverídicas?. Um estudo americano procurou esclarecer esta  perguntra avaliando, por meio da internet, 1000 mulheres, com idades entre 18 e 40 anos, no ano de 2013. As questões abordaram temas variados relacionados à fertilidade, concepção, gravidez e cuidados de saúde da femininos. Vejamos alguns destes resultados. Quarenta por cento das mulheres em todas as faixas etárias expressaram preocupações sobre sua capacidade de conceber. No entanto, um terço das mulheres desconheciam as implicações adversas das doenças sexualmente transmissíveis, da obesidade ou dos ciclos menstruais ireegulares para o sucesso da fecundação. Muitas acreditavam que o envelhecimento não era problemático para a fertilidade.

         Cerca de 40% delas não estavam familiarizadas com o período ovulatório e o mesmo tanto acreditava que ''certas posições durante a relação sexual podiam aumentar a probabilidade da gravidez''. Um conceito tão irreal quanto outro também comum de que “ter sexo mais de uma vez por dia aumenta as chances de gravidez”. No geral, mulheres mais jovens, entre 18 e 24 anos demonstraram menor conhecimento sobre concepção, fertilidade e ovulação, enquanto que as mulheres mais velhas tendiam a acreditar mais em mitos e equívocos comuns.

         Para concluir, a busca por informações em sites só perdia para consulta com especialistas e provedores de saúde, o que mostra a importância da internet para a saúde feminina. Mas neste caso é fundamental que as informações sejam, precisas e verdadeiras (Lundsberg et al. Knowledge, attitudes, and practices regarding conception and fertility: a population-based survey among reproductive-age United States women. Fertil Steril 2014;101:767–74)










 


 


 

 

 

 

 

 

Escrito por Dr. Alexandre Faisal às 10h19

Sobre o Autor

Alexandre Faisal é ginecologista-obstetra, pós-doutor pela USP. Formado em Psicossomática pelo Instituto Sedes publicou o livro "Ginecologia Psicossomática" (Editora Atheneu). Participou do programa "Olha Você" do SBT e atualmente é colunista da Rádio USP (FM 93.7) e da Rádio Bandeirantes (FM 90.9). Já realizou diversas palestras médicas no país e no exterior. Apresenta palestras culturais em empresas sobre temas que tratam do universo feminino (Amantes na Arte, Mentes Inovadoras, O Erotismo).

Sobre o Blog

Acompanhe os boletins do "Saúde feminina: um jeito diferente de entender a mulher" que discutem os assuntos que interessam às mulheres e seus parceiros. Uma abordagem didática e bem-humorada das mais recentes pesquisas nacionais e internacionais sobre temas como gravidez, métodos anticoncepcionais, sexualidade, saúde mental, menopausa, adolescência, atividades físicas, dieta, relacionamento conjugal, etc. Aproveite.

Livro

Alexandre Faisal é coautor do livro "Segregos de Mulher - Diálogos entre um ginecologista e um psicanalista"



(Alexandre Faisal Cury e Rubens Marcelo Volich, Ed. Atheneu).

Histórico